*(LITERATURA CLANDESTINA REVOLUCIONÁRIA)*MICHEL FOUCAULT LIBERTE-ME.

VC LEU MICHEL FOUCAULT,NÃO?ENTÃO O QUE VC ESTÁ ESPERANDO FILHO DA PUTA?ELE É A CHAVE DA EVOLUÇÃO DOS HUMANOS.HISTORIA DA LOUCURA,NASCIMENTO DA CLINICA,AS PALAVRAS E AS COISAS,ARQUEOLOGIA DO SABER,A ORDEM DO DISCURSO,EU PIERRE RIVIÉRE,A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS,VIGIAR E PUNIR,HISTORIA DA SEXUALIDADE,EM DEFESA DA SOCIEDADE,OS ANORMAIS...EVOLUÇÃO OU MORTE!

Saturday, January 27, 2007

michel foucault.libertação dos mitos...








livro 1:Arqueologia do Saber.
A Arqueologia do saber representa um marco fundamental na trajetória filosófica de Michel Foucault, que é também, reconhecidamente um dos grandes historiadores de nossa época. Foucault nos legou neste livro uma lição de extraordinário valor, que irá sobreviver aos ataques radicais de críticos recentes que propõem esquecê-lo e o acusam de um niilismo dogmático e empobrecedor. A lição do autor é que não temos nada mais o que esperar de um falso conhecimento objetivo, nem das ilusões da subjetividade pura, mas tudo o que aprender e compreender de uma arqueologia das práticas (a medicina, a biologia ou a economia política) que fizeram de nós aquilo que somos.
livro 2:Ordem do Discurso.
A aula inaugural, que Foucault pronunciou ao assumir a cátedra vacante no Collège de France pela morte de Hyppolite, pode ser considerada um texto de ligação entre as obras, datadas dos anos 60, como História da loucura, As Palavras e as coisas, A Arqueologia do saber, centradas predominantemente na análise das condições de possibilidade das ciências humanas, e as que se seguiram a maio de 68, como Vigiar e punir, voltadas ao exame da microfísica do poder. Foucault desvenda a relação entre as práticas discursivas e os poderes que as permeiam. Ao percorre os diversos procedimentos que cerceiam e controlam os discursos os discursos na sociedade, o autor comprova que "o discurso não é simplesmente aquilo que traduzas lutas ou os sistemas de dominação, mas aquilo pelo que se luta, o poder de que queremos nos apoderar". Na segunda parte do texto, Foucault anuncia a direção em que prosseguirá suas investigações no decorrer dos cursos no Collège de France, apontando para o que denomina o "conjunto crítico" e o "conjunto genealógico" e lança o projeto de estudo das interdições que atingem o discurso da sexualidade. A este trabalho dedicará muitos anos, após a publicação do primeiro volume da História da sexualidade, em 1976 (História da sexualidade, vol. I, A Vontade de saber, vol.2, O Uso dos prazeres, vol. 3. O Cuidado de si, ambos de 1984).
livro 3:A Verdade e as Formas Jurídicas.Este livro — um conjunto de cinco conferências pronunciadas na PUC-Rio pelo autor em 1973 — é o único trabalho mais amplo de Foucault entre 1969 e 1975. Conferências em que se pode observar, talvez pela primeira vez em seu pensamento, a demonstração do vínculo entre os sistemas de verdade e as práticas sociais e políticas de onde provêm e onde se investem. O fato de anteciparem desenvolvimentos contidos em Vigiar e Punir não retira desse trabalho sua originalidade. A leitura anti-epistemológica de Nietzsche, a revelação da existência de uma tensão entre prova e inquérito na antiguidade greco-romana através de uma fascinante análise do Édipo de Sófocles, a hipótese de um processo ternário articulando as formas de produção da verdade no Ocidente são alguns exemplos da atualidade dessas conferências.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home