*(LITERATURA CLANDESTINA REVOLUCIONÁRIA)*MICHEL FOUCAULT LIBERTE-ME.

VC LEU MICHEL FOUCAULT,NÃO?ENTÃO O QUE VC ESTÁ ESPERANDO FILHO DA PUTA?ELE É A CHAVE DA EVOLUÇÃO DOS HUMANOS.HISTORIA DA LOUCURA,NASCIMENTO DA CLINICA,AS PALAVRAS E AS COISAS,ARQUEOLOGIA DO SABER,A ORDEM DO DISCURSO,EU PIERRE RIVIÉRE,A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS,VIGIAR E PUNIR,HISTORIA DA SEXUALIDADE,EM DEFESA DA SOCIEDADE,OS ANORMAIS...EVOLUÇÃO OU MORTE!

Monday, May 12, 2008

Congresso paralisado não afeta 'Lula sortudo', diz 'FT' 12/05/08

As coisas não poderiam estar melhores para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, diz um artigo publicado na edição desta segunda-feira pelo diário financeiro britânico Financial Times.
O artigo, intitulado "Lula sortudo está a salvo enquanto Congresso está paralisado", afirma que dois anos e meio após o escândalo do mensalão, Lula conseguiu dar a volta por cima.“Na época do escândalo do mensalão, no fim de seu primeiro mandato, Lula era visto não apenas como inelegível como corria risco de sofrer um impeachment a qualquer momento”, diz o jornal.
“O presidente, no entanto, conseguiu dar a volta por cima e obteve uma vitória esmagadora nas eleições de 2006. Dois anos e meio antes das próximas eleições, às quais ele não poderá se candidatar – ninguém suspeita que sua sorte sofrerá qualquer revés”, afirma o jornal.O FT destaca que “investimentos, crédito e emprego atingiram níveis não vistos há décadas e o consumo está crescendo no mesmo passo que a popularidade do presidente”.Na avaliação do diário financeiro, Lula deve deixar o cargo em 2010, proclamado como “o presidente do grau do investimento”, uma reputação bem melhor do que a de seu predecessor, que devido aos problemas enfrentados no setor de energia, saiu da presidência taxado de “presidente do apagão”.

O jornal pondera, no entanto, que um dos legados deixados pelo mensalão foi levar o Congresso à paralisia, ameaçando o crescimento econômico que fez de Lula o “presidente mais popular de que se tem lembrança”.
“Economistas vêm insistindo há décadas que, para atingir um nível de crescimento duradouro, o governo tem de reduzir a dívida pública e liberar verbas para investimentos. Isto requer cortes, principalmente nas pensões públicas e nas folhas de pagamento.”“Os gastos públicos, no entanto, crescem a uma taxa anual de 9,4%, cerca de duas vezes mais do que a taxa de crescimento anual do país”, diz o diário britânico.
Um analista político ouvido pelo jornal diz que o que guia o aumento dos gastos públicos é "a ânsia do governo em garantir maioria nas duas casas do Congresso".“Isto gera um gasto fiscal gigante”, disse Amaury de Souza ao Financial Times.“Eles (governo) tiveram de aumentar o número de ministérios para dar trabalho aos aliados. No primeiro mandado, Lula contava com 11 partidos aliados, agora, com 14”.O Financial Times ainda destaca que as propostas para cortes estão paralisadas no Congresso porque não podem ser debatidas enquanto os legisladores não votarem um certo número de medidas provisórias.“O presidente usou tais medidas para aumentar os gastos públicos em R$ 25 bilhões no ano passado, apesar de a Constituição estipular que tais decretos só podem ser usados para aumentar os gastos em tempos de guerra, calamidade pública ou efervescência popular”.Com o Congresso paralisado, é improvável que a política fiscal mude, avalia o FT.“Isto pode não ser um problema imediato se os preços das commodities continuar crescendo e o país continuar atraindo investimentos”.E mesmo que as condições mudem, afirma o FT, é possível que "Lula terá sido sortudo o bastante e conseguido eleger seu sucessor".

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home