*(LITERATURA CLANDESTINA REVOLUCIONÁRIA)*MICHEL FOUCAULT LIBERTE-ME.

VC LEU MICHEL FOUCAULT,NÃO?ENTÃO O QUE VC ESTÁ ESPERANDO FILHO DA PUTA?ELE É A CHAVE DA EVOLUÇÃO DOS HUMANOS.HISTORIA DA LOUCURA,NASCIMENTO DA CLINICA,AS PALAVRAS E AS COISAS,ARQUEOLOGIA DO SABER,A ORDEM DO DISCURSO,EU PIERRE RIVIÉRE,A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS,VIGIAR E PUNIR,HISTORIA DA SEXUALIDADE,EM DEFESA DA SOCIEDADE,OS ANORMAIS...EVOLUÇÃO OU MORTE!

Friday, July 11, 2008

depois de décadas miséria total 11/07/08 a união europeia tenta ajudar o kosovo.a europa sabe muito bem que o futuro é a guerra por recursos naturais.

observação:no meio da prosperidade europeia existe um lugar completamente miserável.coloquei as fotos aí,é o kosovo.
qual o motivo de toda ajuda ao kosovo depois de décadas de esquecimento?será que é bondade dos europeus?não,é pelos simples fato de que agora o kosovo é uma base militar americana,e os estados unidos precisa dessa base para se lançar na ofensiva militar contra o iran.
Kosovo: A independência, na Admirável Nova Ordem Mundial, de uma colónia da NATO
http://resistir.info/europa/kosovo_18fev08_p.html
Independência cozinhada O Kosovo e o Panamá
http://resistir.info/europa/kosovo_panama_p.html
EUA e UE apoiam um processo político ligado ao crime organizado
O primeiro-ministro Hashim Thaci faz parte de um sindicato do crime
http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=8200
« As leis antiterroristas. Um ato constitutivo do Império »
O fim das soberanias e das liberdades na Europa
http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=7757
A conferência de doadores para o Kosovo, realizada em Bruxelas, conseguiu hoje firmar compromissos por um total de 1,2 bilhão de euros para impulsionar a economia e o Governo desse território durante o período 2009-2011. O primeiro-ministro kosovar, Hashem Thaçi, destacou que a conferência foi um "sucesso extraordinário", dizendo que marcará o início de "um novo capítulo" na história do Kosovo, que proclamou unilateralmente sua independência da Sérvia em fevereiro deste ano. A quantia prometida hoje supera a que tinha sido pré-estabelecida pela Comissão Européia (CE) que seria de 1 bilhão de euros. A União Européia foi quem ofereceu a maior doação: 508 milhões de euros. Com esta contribuição, "a UE demonstra seu compromisso com o Kosovo e com a estabilidade dos Bálcãs", afirmou o comissário europeu para Ampliação, Olli Rehn, que agradeceu as doações prometidas por outros doadores.
"O 1,2 bilhão prometido hoje ajudará a criar um futuro melhor para todos os habitantes do Kosovo", declarou. Do total, 1,1 bilhão será destinado ao desenvolvimento econômico e social do Kosovo, enquanto os outros 100 milhões ficarão como reserva de contingência para enfrentar as possíveis dívidas que o território poderia herdar após sua separação da Sérvia. Os Estados Unidos prometeram 255 milhões de euros. Outros importantes doadores foram a Noruega (100 milhões), a Suíça (46 milhões), a Arábia Saudita e a Turquia (30 milhões cada um). Vários países da UE anunciaram contribuições individuais, entre eles Alemanha (100 milhões), Luxemburgo e Reino Unido (30 milhões), Holanda e Finlândia (16 milhões), Dinamarca (15 milhões), Itália (13 milhões), Suécia (10 milhões) e Áustria (6 milhões). Os doadores concordaram em pedir "um plano de ação geral para o controle interno e a auditoria na gestão dos fundos", segundo explicou no término da conferência Pierre Mirel, diretor para os Bálcãs Ocidentais na Direção Geral de Ampliação da Comissão Européia. Além disso, demandaram que seu apoio seja acompanhado por reformas que consolidem a democracia e o respeito a todas as etnias, assim como a igualdade entre elas para o desenvolvimento socioeconômico. Thaçi assegurou que o Kosovo se tornará "merecedor" do respaldo recebido nesta conferência, na qual o ministro das Finanças, Ahmet Shala, apresentou o programa de reformas e as necessidades financeiras kosovares.



O Fundo Monetário Internacional (FMI) fez uma avaliação positiva desse programa de reformas, uma opinião que foi compartilhada pelo Banco Mundial (BM), pela CE e pelas agências da ONU que operam no território, segundo o Executivo do bloco. Dos 508 milhões de euros prometidos pela UE, 358 milhões serão entregues pelo Instrumento Estrutural de Pré-Adesão e servirão para apoiar as reformas, e os outros 150 milhões serão destinados à assistência direta do orçamento público. A UE vai destinar outros 457 milhões de euros até 2010 para sua missão civil no Kosovo, que apoiará o desenvolvimento de uma administração nesse território e terá aproximadamente 1.900 soldados internacionais, policiais, juízes, fiscais e agentes alfandegários, procedentes de todos os Estados-membros (exceto Malta). A conferência foi convocada pela CE para buscar apoios financeiros ao processo de desenvolvimento econômico e administrativo do Kosovo, um dos territórios mais pobres da Europa. Segundo dados do Banco Mundial, o Kosovo tinha em 2006 uma renda per capita de US$ 1.118 anuais e um índice de desemprego girando em torno de 40%. Além disso, aproximadamente 45% da população (de um total de 1,9 milhão de habitantes) vive abaixo da linha de pobreza (1,42 euro por dia) e 15% em condições de pobreza extrema (0,93 euro diário). Desde o conflito de 1999, no qual os bombardeios da Otan puseram fim, na prática, à presença sérvia no Kosovo, o território recebeu doações internacionais no valor de aproximadamente 2 bilhões de euros, de acordo com dados do BM.


Comissão Européia promete 500 milhões de euros ao Kosovo:Conferência sobre Kosovo em Bruxelas reuniu 1,2 bilhão de euros para que o jovem país nos Bálcãs monte uma infra-estrutura democrática e um sistema de ensino eficiente. UE impõe condições.A conferência para angariar fundos para o Kosovo, nesta sexta-feira (11/07) em Bruxelas, reuniu 1,2 bilhão de euros, dos quais 500 milhões foram prometidos pela Comissão Européia e 100 milhões de euros, pela Alemanha.
Nesta quinta-feira, a diretora do programa de cooperação econômica dos EUA, Henrietta Holsman Fore, havia anunciado que os Estados Unidos pretendem dispor 255 milhões de euros para a reconstrução da infra-estrutura e de instituições. Segundo Fore, o Kosovo "dispõe de um bom plano" para o seu desenvolvimento.Oli Rehn, comissário de Ampliação da União Européia (UE), ressaltou que a ajuda demonstra que o Kosovo "é um assunto profundamente europeu". Por outro lado, ele advertiu que o governo em Pristina "terá de prestar contas sobre cada euro que gastar".Rehn explicou que a ajuda está condicionada a algumas responsabilidades, como a proteção dos direitos humanos, a reconstrução da economia, a garantia de uma boa conduta do governo e a preocupação com a paz e a estabilidade da região."Este é um êxito extraordinário para meu país, para população do Kosovo. Com esta ajuda, está sendo iniciado um novo capítulo na história do Kosovo", ressaltou o chefe de governo Hashim Thaci. Ele assegurou responsabilizar-se pessoalmente para que o dinheiro não caia em mãos erradas.Questionado sobre como pretende assegurar sua distribuição nas áreas da minoria sérvia em parte ainda controladas pela Sérvia, o premiê de origem albanesa assegurou: "Não faremos diferenciação étnica". A população kosovar é de 2,1 milhões de pessoas, das quais 95% são de origem albanesa, os demais são sérvios, sinti, rom e de outras etnias.Nos próximos três anos, a ajuda internacional deverá ser aplicada na ampliação da infra-estrutura, reconstrução de escolas, órgãos públicos, Justiça e da polícia. A difícil situação econômica do pequeno país balcânico fomenta a corrupção e o nepotismo.Segundo um relatório da Comissão Européia e do Banco Mundial, até 2011 o Kosovo irá precisar de 600 milhões de euros apenas para a reconstrução e a infra-estrutura de transportes. O governo em Pristina calcula em 670 milhões de euros os gastos com a construção de escolas e a organização de Justiça, polícia e órgãos públicos.A conferência desta sexta-feira teve a participação da União Européia, de instituições financeiras internacionais, Estados Unidos, Noruega, Suíça e Arábia Saudita. O governo kosovar esperava reunir 1,4 bilhão de euros.A antiga província sérvia do Kosovo esteve sob a administração das Nações Unidas desde 1999 até declarar sua independência em fevereiro de 2008. Em 15 de junho de 2008, sua Constituição entrou em vigor. Até agora, a independência foi reconhecida por 43 países. Para Belgrado e a minoria sérvia no Kosovo, no entanto, a região continua sendo parte da Sérvia.Muitos questionam as condições de subsistência do jovem Estado. O Kosovo é considerado uma das regiões mais pobres do continente europeu. Segundo um relatório do Banco Mundial, 37% da população vive abaixo do limite de pobre, isto é, dispõe de menos de 1,50 euro ao dia para sobreviver. A cota de desemprego no país é de 40%. Desde 1998, a ex-província sérvia já recebeu ajuda no montante de 3 bilhões de euros. A moeda corrente no Kosovo é o euro.



0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home