*(LITERATURA CLANDESTINA REVOLUCIONÁRIA)*MICHEL FOUCAULT LIBERTE-ME.

VC LEU MICHEL FOUCAULT,NÃO?ENTÃO O QUE VC ESTÁ ESPERANDO FILHO DA PUTA?ELE É A CHAVE DA EVOLUÇÃO DOS HUMANOS.HISTORIA DA LOUCURA,NASCIMENTO DA CLINICA,AS PALAVRAS E AS COISAS,ARQUEOLOGIA DO SABER,A ORDEM DO DISCURSO,EU PIERRE RIVIÉRE,A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS,VIGIAR E PUNIR,HISTORIA DA SEXUALIDADE,EM DEFESA DA SOCIEDADE,OS ANORMAIS...EVOLUÇÃO OU MORTE!

Wednesday, October 11, 2006

Marilena Chauí: Globo pode repetir 1989 e manipular debate


Por André Cintra, de São PauloÉ preciso ficar atento à cobertura eleitoral da TV Globo, alerta Marilena Chauí. Em entrevista ao Vermelho, a filósofa da Universidade de São Paulo (USP) declarou-se especialmente preocupada com o último debate entre os presidenciáveis Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB), que a emissora carioca promove em 27 de outubro.


Marilena, uma das principais apoiadoras de Lula entre os intelectuais, evoca a manipulação da Globo nas eleições presidenciais de 1989. No segundo turno, Lula vinha em franca recuperação e caminhava para uma situação de empate técnico com o favorito Fernando Collor de Mello (PRN).

A um dia do pleito, porém, duas bombas minaram sua recuperação: a falsa denúncia (fabricada pela Polícia Federal) de que petistas estavam envolvidos com o seqüestro do empresário Abílio Diniz; e a reportagem tendenciosa do Jornal Nacional sobre o último debate entre os candidatos. Além de dar mais - e melhor - espaço a Collor, a edição mostrava Lula apenas sob pressão.

Na opinião de Marilena, a Globo permanece em xeque, e o risco de nova manipulação continua. Autora do recém-lançado Simulacro e Poder - Uma Análise da Mídia, a filósofa pestista acredita que os jornais intensificarão, neste segundo turno, a campanha anti-Lula, radicalizando as diferenças entre direita e esquerda. A isso se soma, segundo Marilena, a ação "repressiva e policialesca" do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Confira seu depoimento, concedido ao Vermelho em São Paulo (SP), na segunda-feira (09/10), após um debate sobre os rumos da esquerda brasileira. A entrevista teve de ser rápida: do hotel onde o evento foi realizado, Marilena partiu direto para o hospital em que sua mãe está internada desde domingo, após uma "forte crise". (Em tempo: foi justamente por conta da internação da mãe que Marilena não conseguiu assistir ao debate na Band entre Lula e Alckmin)

Neste segundo turno, a mídia tende a radicalizar ainda mais o discurso anti-Lula e a pregação conservadora?Eu acho que sim. Tudo se torna mais acirrado, e a distinção esquerda-direita fica mais acirrada também. A mídia ganha os contornos que teve na eleição do Collor. Estou só esperando o momento em que vai haver o debate na Rede Globo - e a Rede Globo vai editar, transmitir uma edição do debate. Vocês eram muito jovens. Vocês não se lembram, vocês não sabem o que foi feito naquela ocasião.

Sabemos, sim (risos).Eu estou de armadura e lança em punho, porque estou esperando todas essas barbaridades.

Esta campanha não lhe pareceu extremamente concentrada na televisão, a ponto de impossibilitar o debate de propostas?O que eu acho é que, como o TSE passou a exercer uma atitude verdadeiramente repressiva e policialesca, o número de debates se reduziu muito - a discussão de idéias na rua, a presença da eleição no espaço público. No Brasil inteiro, com tanto receio de que houvesse uma repressão por partes dos TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) e do TSE, houve uma espécie de grande silêncio. Afora a televisão, nada mais acontecia. Penso que, nos próximos dias, essa situação poderá sofrer uma alteração, com a presença de uma militância mais aguerrida nas ruas. Eu fui informada, por dois colegas, das agressões que os petistas estão recebendo.

Aqui em São Paulo?Aqui em São Paulo, na Avenida Paulista. Uma menina que tinha o adesivo do Lula no carro foi apedrejada. Um rapaz que estava usando um distintivo levou soco na cara e no estômago. Foi assim na eleição do Collor. A gente saía e levava pancada. Riscavam o carro da gente, quebravam a janela, batiam nas portas das casas. Foi uma coisa terrível. Vocês são muito jovens e não sabem como foi. Mas foi assim. Agora eu preciso ir embora. Prometi à minha mãe que vou vê-la.

1 Comments:

  • At 10/12/2006, Anonymous JV said…

    Parabéns cara!! Seu blog é muuito bom mesmo!! Compartilho deste mesmo ideal de q o povo tem q se informar e deixar de ser um bando de marionetes da indústria da mídia e do entretenimento!!
    Valeu!!

     

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home