*(LITERATURA CLANDESTINA REVOLUCIONÁRIA)*MICHEL FOUCAULT LIBERTE-ME.

VC LEU MICHEL FOUCAULT,NÃO?ENTÃO O QUE VC ESTÁ ESPERANDO FILHO DA PUTA?ELE É A CHAVE DA EVOLUÇÃO DOS HUMANOS.HISTORIA DA LOUCURA,NASCIMENTO DA CLINICA,AS PALAVRAS E AS COISAS,ARQUEOLOGIA DO SABER,A ORDEM DO DISCURSO,EU PIERRE RIVIÉRE,A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS,VIGIAR E PUNIR,HISTORIA DA SEXUALIDADE,EM DEFESA DA SOCIEDADE,OS ANORMAIS...EVOLUÇÃO OU MORTE!

Wednesday, March 26, 2008

o Fenômeno Michel Houellebecq 26/03/08

http://www.houellebecq.info/english.php3
Isso não acontecia há muito tempo: uma tempestade literária desabou no segundo semestre de 1998. É claro que a rotina nem por isso foi interrompida. A tradicional corrida aos prêmios literários teve como saldo o coroamento de livros excelentes, bons ou simplesmente palatáveis. Mas ninguém se enganou: a safra de 1998 ficará marcada pelas Partículas Elementares de Michel Houellebecq.
Um livro impossível. Uma fonte de polêmica. A crítica abandonou o tom moderado e os elogios convenientes para se dividir entre os incondicionalmente a favor e os denegridores resolutos. Era tudo ou nada: cinco estrelas ou zero absoluto. Muitos leitores ficaram chocados com a brutalidade pornográfica de Houellebecq, o que já constitui em si um acontecimento: não é fácil, hoje, conseguir-se ainda causar escândalo escrevendo sobre sexo! Era como se tivéssemos voltado, guardando as devidas proporções, às querelas provocadas por Madame Bovary, de Flaubert, ou Lolita, de Nabokov.
Alguns de seus amigos cortaram espalhafatosamente as relações com ele, alegando que as suas Partículas eram politicamente incorretas. Nesse meio-tempo, o objeto do delito alcançava o patamar dos 150.000 exemplares vendidos, e corria o boato de que Maurice Pialat (A nos amours - A nossos amores e Sous le soleil de Satan - Sob o Sol de Satã) estava pensando em adaptá-lo para o cinema. Só faltava, para a novíssima glória desse escritor de quarenta anos, perder o Goncourt; alguns dos que o defendiam lembraram então que em 1932 os jurados haviam preferido Les Loups (Os Lobos), do obscuro Guy Mazeline, a Voyage au Bout de la Nuit (Viagem ao fim da noite), de Louis-Ferdinand Céline... O dedo na ferida:
O homem que provocou tamanho alvoroço, no entanto, nada tem de incendiário. Mas ele possui o dom de expor com uma lucidez atroz os males de nossa época e de voltar a colocar o dedo na ferida até que aceitemos olhar de frente nossos sujos segredos. Daí a violência das reações. Além disso, ele dá o exemplo, sendo o primeiro a se despir. Seus livros são alimentados por momentos essenciais de sua vida: nascimento em 1958; ausência de pais, que não se interessam por ele; infância na casa de uma avó adorada; destino igual de sua meio-irmã; curso de engenharia; depressão, ansiolíticos, álcool, hospital psiquiátrico.Em 1991, Michel Houellebecq dedica um ensaio admirável a um de seus autores prediletos, um dos mestres americanos dos escritos fantásticos, H. P. Lovecraft. Nele já podemos encontrar uma frase que resume o resto de sua obra: “ O valor de um ser humano é medido hoje por sua eficiência econômica e seu potencial erótico. ” Esse poder supremo do sexo e do dinheiro, ele combate em seus poemas e sobretudo em um primeiro romance publicado em 1994. Os personagens de Extension du Domaine de la Lutte (Extensão da área de combate) são nossos vizinhos de porta. Eles trabalham em informática, moram em quitinetes, comem comida congelada, são sufocados pela solidão, são produtos de uma civilização esgotada. Os dois protagonistas encarnam os pólos opostos de uma mesma angústia: o frio e o calor, a incapacidade de amar e a obsessão sexual.
É esse mesmo contraste que Les Particules Elémentaires deixa subentendido. Michel Djerzinski, abandonado por seus pais, nunca experimentou qualquer sentimento profundo por seus semelhantes, com exceção talvez do que nutriu por sua avó, que o criou e que simboliza, a seu ver, uma espécie em extinção: “Seres humanos que trabalhavam toda a vida, e que trabalhavam duro, unicamente por devotamento e por amor; que literalmente davam a vida pelos outros, dentro de um espírito de devotamento e amor.”Pesquisador na área da biologia, Michel leva uma existência sombria entre seu supermercado Monoprix e o laboratório onde faz experiências de ponta sobre a clonagem de animais. A única pessoa de quem não se afastou em anos-luz é seu meio-irmão Bruno. Este foi uma criança mártir, um adolescente em crise e um adulto atormentado noite e dia pelo desejo. Ele evolui dentro de um universo de sex-shops, sites eróticos etc; em nosso universo, em suma, o do erotismo onipresente e do mito da eterna juventude destilados pelos publicitários. Enquanto a frustração leva Bruno às portas da loucura, Michel mergulha numa reflexão solitária que provocará uma revolução científica comparável à obra de Einstein: dissociando radicalmente a reprodução do prazer, ele permitirá à humanidade conhecer enfim a paz.
Um romance completo:Les Particules élémentaires compreende, com efeito, tanto passagens autobiográficas quanto desenvolvimentos filosóficos. A desordem que corrói o mundo ocidental é analisado no livro com um olhar glacial: “Os sentimentos de amor, ternura e fraternidade humana haviam, em grande parte, desaparecido; em suas relações humanas, seus contemporâneos, na maior parte das vezes, davam provas de indiferença e até de crueldade.” No livro, o filósofo Kant cruza com o físico Heisenberg – um dos fundadores da teoria quântica – e Aldous Huxley – o escritor que denunciou o totalitarismo das sociedades modernas em Admirável Mundo Novo –, e as boates noturnas especializadas na troca de parceiros sexuais convivem com os computadores Cray.A sociologia, a etologia e a física desembocam na ficção científica. Podemos ficar chocados com a franqueza de Houellebecq, podemos condenar suas idéias, mas é preciso ser cego – ou não querer enxergar a verdade – para não admitir que a literatura francesa tornou-se mais rica com essa nova voz, tão estridente quanto singular. Claro que ainda é muito cedo para sabermos se se trata de um fogo de palha ou de um grande escritor. Mas muitos de nós já esperam, cheios de curiosidade, a publicação de seu próximo romance.


0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home