*(LITERATURA CLANDESTINA REVOLUCIONÁRIA)*MICHEL FOUCAULT LIBERTE-ME.

VC LEU MICHEL FOUCAULT,NÃO?ENTÃO O QUE VC ESTÁ ESPERANDO FILHO DA PUTA?ELE É A CHAVE DA EVOLUÇÃO DOS HUMANOS.HISTORIA DA LOUCURA,NASCIMENTO DA CLINICA,AS PALAVRAS E AS COISAS,ARQUEOLOGIA DO SABER,A ORDEM DO DISCURSO,EU PIERRE RIVIÉRE,A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS,VIGIAR E PUNIR,HISTORIA DA SEXUALIDADE,EM DEFESA DA SOCIEDADE,OS ANORMAIS...EVOLUÇÃO OU MORTE!

Friday, April 11, 2008

A perseguição implacável 11/04/08 Sobre Yoani Sánchez e o seu blog censurado.por Iván ALONSO

Informado de que as autoridades cubanas tinham censurado o blog da revista digital Consenso: www.desdecuba.com/generaciony, onde Yoani Sánchez, uma cubana de 32 anos, escrevia contra os ‘censores anónimos do ciberespaço’ para, numas dramáticas declarações, evitar que me “encerrassem num quarto, apagassem a luz e não deixassem entrar os meus amigos” dirigi-me ali para comprová-lo.No mesmo dia em que a notícia sai publicada em jornais como o Público, 25 de Março de 2008, entro no blog tranquilamente tanto copiando a URL na barra de direcção como através da própria página web da revista digital. Curioso blog censurado! Já que pude aceder tão facilmente, ludibriando sem espaço para dúvidas a férrea mão dos censores, vou ler um pouco. Vamos ver o que se cozinha.A autora, a modo de apresentação, confessa que o seu blog está dedicado a gente nascida em Cuba nos anos 70 e 80, cujo nome contenha um Y (sinto muito por quem leve nomes tradicionais cubanos e não inventados –os do Y-, este blog não é para eles, é para betos que se chamam Yadier ou Yosvany ) e que tenham estado marcados pelas escolas de campo, os bonecos russos, as saídas ‘ilegais’ e a frustração. Bem, pelo menos a sua infância não esteve marcada pela morte por inanição, a busca de água a 9 km de casa e a guerra. Entendo que os bonecos russos pudessem ser feios. No meu bairro havia He-Man autênticos, americanos 100%, mas eram muito caros e eu só brincava com bonecos baratos, que até podiam ter sido russos, ou pelo menos de Taiwan de certeza. Quanto à frustração, bem, esta não me conhece.De seguida vem uma fotografia da blogueira. Veste bem (bonito vestido com uma mala cruzada), está bem alimentada, leva uns óculos de sol na cabeça e posa junto a um graffiti. Se está à procura de provocar compaixão contra uma horrenda ditadura fracassou totalmente. O seu aspecto ocidental e a fotografia levam mais à inveja das virtuais centenas de amigos do Haiti, México, Peru ou Colômbia que a estejam a ver do que à solidariedade contra o espantoso regime que permitiu que conjugue o vestido e a mala.
Na primeira mensagem aparece já a queixar-se: que o blog está censurado, que ela é uma rebelde, que na ilha não se vê, que os ‘adolescentes’ estão a levar bofetadas dos censores. Deveria reflectir sobre um dado: ela tem 32 anitos e vive num país onde se pode permitir passar a manhã a escrever criancices num blog; noutros mundos por que tanto anseia teria já 4 filhos e teria consumido mais de metade da sua esperança de vida. Mas isso não lhe interessa minimamente. Do que ela gosta é do blog.No segundo post Yoani fala de um preso, Adolfo Fernández Saiz, que, conta, foi detido na primavera de 2003. Uma rápida passagem pela Internet confirma-nos que parece muito amigo de Repórteres Sem Fronteiras (dos quais depois das reportagens aparecidas aqui mesmo não vou falar), ‘Cubanet’ o ‘Cubaliberal’. Ainda que pessoalmente não posso alegrar-me por ninguém que esteja na prisão, suponho que se começo a falar de aceitar dinheiro de potências estrangeiras para atacar a soberania de Cuba já nos irá soando a todos quem é este abnegado lutador pelos direitos humanos (próprios). Se a Yoani quer preocupar-se com os presos, que dê uma volta pela base militar de Guantánamo e dê uma olhadela. Talvez algum de esses presos se trocava por Fernández Saiz. Talvez todos.Na sua seguinte entrada, a intrépida rapariga anti-sistema fala de um livro de contos que ela interpreta que ataca frontalmente Cuba. Se ataca é possível perguntar-se por que é que os ferozes censores dos que se queixava ao princípio não o retiraram de circulação com o seu escuro gancho. Vê-se que esta rapariga não sabe o que é o depósito prévio, o sequestro de exemplares e o fecho de publicações. Mas talvez haja sorte e agora que vão brigadistas bascos para lá podem contar-lhe o de Egin e Egunkaria para ver o que lhe parece. Ainda que o livrito literário fale de vacas e touros, para a nossa blogueira censurada é claro que fala da economia cubana. E de passagem dá-nos umas lições muito interessantes. O livro, por certo, tem resenhas no ABC, El Cultural de El Mundo e no Encuentro Cubano. É realmente comovedor, mas não podiam pô-lo tão fácil. Dissimular e essas coisas. Ou perguntar-se por que é que outros escritores do seu país não têm resenhas em prestigiosos jornais espanhóis. Por não escrever ao ditado pode ser, Yoani, coração?
Estou a começar a cansar-me de ler este blog onde se cita cada dois por três a estes importantes meios tão independentes e equânimes com a ilha, como todos sabemos. Sigo um pouco mais: um pouco de conversa acerca de por que é que ela não tem um DVD (de certeza que já o tem, ainda por cima é melhor que compre um blue-ray a esta altura), mas nada acerca de por que é que o seu país não teve suficiente potência eléctrica para que ela acenda a maldita vídeo-consola; uma mensagem de ânimo a uma nova bitácula (quantas bitáculas haverá no Irak –as do exército invasor não contam - ?, e na Somália?, e em Santo Domingo para não ir tão longe?) e aproveita desde a falta de bons modos (ofende-lhe à senhorita, pelo que se vê, que os que trabalham no duro não lhe dêem os ‘bons dias’ e se inclinem à sua passagem) a uma exposição de pintura para dar a carga contra o governo cubano. Coisa que não me parece nem mal nem bem, mas que obsessão! A isto chama-se clinicamente ‘mania da perseguição’: ameaçada sempre por um poder na sombra que a censura, a ata, a encerra em casa e não a deixa jogar ao Mario Bros. Pobre.Falo com um psiquiatra e diz-me que a mania da perseguição pode dever-se a um ego desmesurado. Intuía-o. Desde logo Yoani de modesta não tem nada, e de contribuir para a sua sociedade menos. Não falemos com ela sobre interrogar-se a si própria porque a isso não sabe/não responde. Do que ela gosta é esperar a medrar e ir às discotecas que se abrirão nos colégios campestres que tanto parecem incomodá-la. Que os pobres vão aos colégios é intolerável. Que ela possa chatear em paz é imperativo e Cuba deve concentrar todas as suas forças vivas económicas para que a menina aceda já ao condenado Blue-Ray (de passagem que consiga um para mim, que as vejo cruas, nem tudo são rosas no ocidente, bonita menina).Este é o futuro moral e intelectual que espera Cuba se se oferece a esta ‘dissidência’ de pau e à mala o poder em benefício de uma Transição ‘à espanhola’, com um pouco de consensos, graça e tolerância. Só espero que toda a boa gente de Cuba se veja livre de cair debaixo das garras destes finos analistas da contemporaneidade.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home