*(LITERATURA CLANDESTINA REVOLUCIONÁRIA)*MICHEL FOUCAULT LIBERTE-ME.

VC LEU MICHEL FOUCAULT,NÃO?ENTÃO O QUE VC ESTÁ ESPERANDO FILHO DA PUTA?ELE É A CHAVE DA EVOLUÇÃO DOS HUMANOS.HISTORIA DA LOUCURA,NASCIMENTO DA CLINICA,AS PALAVRAS E AS COISAS,ARQUEOLOGIA DO SABER,A ORDEM DO DISCURSO,EU PIERRE RIVIÉRE,A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS,VIGIAR E PUNIR,HISTORIA DA SEXUALIDADE,EM DEFESA DA SOCIEDADE,OS ANORMAIS...EVOLUÇÃO OU MORTE!

Wednesday, February 27, 2008

exercícios militares em Israel 27/02/08 Síria desconfia de exercícios militares de Israel


JERUSALÉM - É um dos paradoxos dos nossos dias. Os melhores sites de notícias são os de jornais elaborados por jornalistas experimentados. O Google, por exemplo, não tem repórteres, tem um sistema pelo qual capta e seleciona notícias de milhares de jornais impressos para oferecer seu conteúdo de notícias. E assim a internet vai avançando como mídia favorita.Leio inúmeros sites e, uma vez selecionado o tema que vou explorar, converso com fontes para me convencer que o que estou entendendo não é besteira. Vício de repórter.Foi assim que cheguei ao tema das tensões na fronteira norte de Israel e do sul do Líbano, colado a Síria, sobre a qual escrevem Herb Keinon e Josh Brannon do “Jerusalem Post”, o tradicional e excelente diário israelense em inglês, de linha conservadora, que pensa que Ehud Olmert, primeiro-ministro de Israel , pretende atacá-la preventivamente. Coincide com o que se lê em sites da mídia do mundo árabe.

No Oriente Médio, sempre lembro e repito, ninguém confia em ninguém. O chefe do governo israelense tem afirmado e reafirmado que não haverá guerra em futuro próximo. Bashar Assad, o presidente sírio, acha que é jogada para disfarçar a verdade segundo estimam fontes cuja missão é acompanhar o mais de perto o que se pensa nas capitais dos inimigos de Israel. Damasco tende a imaginar que Olmert, derrotado pelo Hezbollah no verão do ano passado ( como corre o tempo!) inclina-se atacar para se salvar politicamente. Os colegas do Post são ótimos repórteres. Os sírios, observam, tendem a desconfiar de recentes grandes exercícios militares israelenses em região fronteiriça.Manobras na linguagem militar, podem significar preparações para ação de verdade. E até teriam adiado suas próprias manobras, o que se sabia ter acontecido, porém, para não darem motivo para Israel justificar uma ofensiva. Não é brincadeira. Os sírios, insistem, aceleram a disposição de lança-mísseis Katiuchas, Scuds – em regiões das quais podem atingir Tel Aviv, a principal cidade de Israel,com pesadas cargas de explosivos convencionais. Centenas deles numa primeira hora de guerra.E volto ao texto do Post que diz tudo. Não seria fácil força aérea alguma derrotar tal ímpeto. Haveria necessidade de invasão de infantes para destruir as baterias. Os sírios, revelam, treinaram inclusive, grupos especiais em tática de guerrilha que aprenderam com o grupo radical xiita Hezbollah. É um faz aqui e outro faz lá. “Mas as mais recentes observações indicam que as forças sírias não estão em posições ofensivas. Não há sinais que preparam um ataque”, afirma o diário.Os colegas do Post leram a mesma matéria que li, publicada no Telegraph, de Londres, de domingo. O jornal londrino tem excelente site e repórteres da boa escola. Afirmam que o Hezbollah, a força xiita libanesa, prepara armas e munições para a hipótese de um novo confronto com Israel numa região onde não chega a tropa de paz das Nações Unidas, os capacetes azuis. Ao longo da fronteira norte de Israel e sul do Líbano, os soldados da paz têm assegurado tranqüilidade e já sofreram mortos e feridos. Mas existem os céus. E se qualquer dos lados quiser, sempre será possível lançar mísseis por cima dos internacionais. Lado algum confia inteiramente nas boas intenções do outro. Tudo anda calmo demais.





0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home