*(LITERATURA CLANDESTINA REVOLUCIONÁRIA)*MICHEL FOUCAULT LIBERTE-ME.

VC LEU MICHEL FOUCAULT,NÃO?ENTÃO O QUE VC ESTÁ ESPERANDO FILHO DA PUTA?ELE É A CHAVE DA EVOLUÇÃO DOS HUMANOS.HISTORIA DA LOUCURA,NASCIMENTO DA CLINICA,AS PALAVRAS E AS COISAS,ARQUEOLOGIA DO SABER,A ORDEM DO DISCURSO,EU PIERRE RIVIÉRE,A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS,VIGIAR E PUNIR,HISTORIA DA SEXUALIDADE,EM DEFESA DA SOCIEDADE,OS ANORMAIS...EVOLUÇÃO OU MORTE!

Tuesday, November 27, 2007

entrevista Lee Smolin 27/11/07

Pergunta: Em seu livro você diz que o pessoal da Teoria de Cordas controla perto de 95% das posições acadêmicas nos Estados Unidos. Contabiliza que oito das nove premiações do MacArthur Fellowship desde 1981 foram para teóricos de cordas. E que 20 entre 22 professores efetivados em Harvard, Berkeley, Caltech, MIT, Princeton e Stanford após 1981 são da ala das cordas. Como você avalia esse controle? Smolin: A palavra controle é muito forte. Mantenho a precisãodesses números citados no meu livro. Mas controle é uma palavra forte porque os departamentos votam nas indicações e nesses casos os experimentalistas geralmente dominam. Portanto a avaliação é que eles influenciam, não controlam. Pergunta: Essa tendência é mundial?Smolin: Não, não é a mesma mundialmente. É diferente em países diferentes. Na América Latina há uma boa diversidade de teóricos e algumas pessoas muito boas produzindo.Pergunta: Esse é um cenário para a teoria de altas energias ou abrange também outros ramos como a física experimental, física matemática ou matéria condensada? Smolin: A questão que levanto refere-se apenas à teoria de alta energia. Não conheço outras áreas o suficiente para comentar.


Pergunta: Você acha que as universidades deveriam adotar algum tipo de “ação afirmativa”, como o sistema de quotas para minorias discriminadas, para restaurar a diversidade na física teórica? Smolin: Ação afirmativa não seria o termo adequado. Melhor dizer que o objetivo seria diversificar potencializar os investimentos de riscos na vanguarda da ciência. É preciso um análogo do capital de risco que deliberadamente apóie direções novas e emergentes na pesquisa. Pergunta: Porque você argumenta em seu livro que o impasse teórico da física é uma questão democrática? Smolin: Porque a comunidade científica é um modelo para a sociedade governada por argumentos racionais originário das evidências. Isso é análogo à democracia. Por exemplo, ambas exigem agir em boa fé dentro das regras de evidência e respeito aos que discordam de você. Pergunta: Você vê esse tipo de comportamento nos grandes centros experimentais como o CERN ou o Fermilab?Smolin: Não, os grupos teóricos nesses casos são orientados para a fenomenologia, como deve ser. (No enfoque fenomenológico os cientistas estão focados em abordagens específicas e não teorias gerais) Pergunta: Você tem esperanças de que essas experiências fenomenológicas no Grande Colisor de Hadrons (o LHC) a partir do ano que vem resolvam as diferenças com a Teoria de Cordas?Smolin: A teoria de cordas não faz previsões definidas para os resultados do LHC, portanto eles não vão dar evidências diretas contra ou a favor desse enfoque. Como eu argumento no meu livro a Teoria de Cordas tem algumas características gerais compartilhadas com outras teorias que podem ser descobertas no LHC. A supersimetria, por exemplo. Também há a possibilidade de detectar evidências de outras dimensões. Como esses aspectos são compartilhados com outras teorias e porque a Teoria de Cordas não faz nenhuma previsão definida, o LHC não vai fornecer a confirmação ou falsificação da Teoria de Cordas. Pergunta: A teoria da Gravitação Quântica de Laços que você desenvolve poderá se revelar nos experimentos do LHC? Smolin: Não. Pergunta: O livro Universo Elegante, de Brian Greene, o principal divulgador da Teoria de Cordas para o público em geral, foi um best-seller o Brasil, vendido como divulgação das fronteiras da ciência em não como proselitismo da teoria de cordas. Ele é acusado de ser o principal difusor do que seria um modismo intelectual. Como você avalia a obra de Greene, que vendeu mais de um milhão de livros no mundo todo? Smolin: É um livro muito bom. A única falha é que ele não tem um retrato verdadeiro das pesquisas, por não mencionar as abordagens da gravidade quântica. Seu segundo livro (O Tecido do Cosmo) é bem melhor nesse aspecto.Pergunta: Alguém citado anonimamente em seu livro diz que possivelmente os humanos não estariam equipados para entender o sentido da Teoria de Cordas tanto quanto cães não poderiam aprender mecânica quântica. Porque você tem esperanças de que nossos cérebros sejam adequados para essa empreitada? Smolin: Penso que nossos potenciais racionais são genéricos. Qualquer coisa que seja logicamente estruturada está aberta ao nosso entendimento.



0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home