*(LITERATURA CLANDESTINA REVOLUCIONÁRIA)*MICHEL FOUCAULT LIBERTE-ME.

VC LEU MICHEL FOUCAULT,NÃO?ENTÃO O QUE VC ESTÁ ESPERANDO FILHO DA PUTA?ELE É A CHAVE DA EVOLUÇÃO DOS HUMANOS.HISTORIA DA LOUCURA,NASCIMENTO DA CLINICA,AS PALAVRAS E AS COISAS,ARQUEOLOGIA DO SABER,A ORDEM DO DISCURSO,EU PIERRE RIVIÉRE,A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS,VIGIAR E PUNIR,HISTORIA DA SEXUALIDADE,EM DEFESA DA SOCIEDADE,OS ANORMAIS...EVOLUÇÃO OU MORTE!

Friday, April 25, 2008

temos que admitir,israel é um estado corajoso. 25/04/08 e Além De Tudo está na ofensiva no tabuleiro Político.

EUA deram a Israel sinal verde para atacar a Síria
http://resistir.info/iraque/fisk_06out03.html
serviço secreto israelense
http://www.mossad.gov.il/Eng/AboutUs.aspx
EUA e Israel criam factóide nuclear contra Síria:A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), por meio de seu diretor Mohamed el Baradei, criticou nesta sexta-feira (25) os Estados Unidos e Israel por não terem concedido nenhuma informação sobre uma suposta instalação nuclear na Síria, que teria sido bombardeada em setembro de 2007 pela aviação israelense."O diretor-geral deplora o fato de que esta informação não foi entregue à agência a tempo, de acordo com suas responsabilidades sob o TNP (Tratado de Não-Proliferação Nuclear) para verificar sua veracidade e estabelecer os fatos", afirmou a AIEA em comunicado.
A agência de espionagem americana (CIA) apresentou na quinta-feira ao Congresso americano papéis, fotografias e um vídeo que supostamente demonstram, de acordo com Washington, que a Síria construía um reator nuclear. Segundo a CIA, a Síria teria recorrido à República Democrática Popular (RPDC) para construir a instalação.El Baradei considerou nesta sexta-feira que "o uso unilateral da força por parte de Israel solapa o processo estabelecido de verificação que se encontra no coração do regime de não-proliferação".A nota emitida nesta sexta-feira em Viena diz que a AIEA foi informada apenas ontem pelas autoridades dos Estados Unidos da suposta construção de um reator nuclear na Síria. "Segundo este relatório, o reator ainda não era operacional e não havia recebido material nuclear", destaca o comunicado da Agência.
Em nota divulgada ainda ontem, o governo sírio rebateu as alegações dos EUA, afirmando que a administração Bush pretende desorientar o Congresso e a opinião pública internacional "a fim de justificar o ataque israelense em setembro de 2007, que a atual administração dos EUA pode ter ajudado a executar".Segundo a agência síria Sana, um dos integrantes do governo sírio que não quis se identificar, ficou admirado com a "campanha de difamação lançada pelo governo Bush contra a Síria sobre as suas supostas actividades nucleares".O funcionário sírio apontou que a divulgação desses papéis serve aos objetivos de Washington em relação às negociações que mantém com a RPDC sobre a questão nuclear na península coreana.Para a fonte, aos EUA devem agir de maneira responsável e parar de "criar mais crises no Oriente Médio, que ainda sofre as conseqeências do fracasso das políticas americanas".O embaixador sírio em Washington, Imad Mustafa, já tinha rejeitado energicamente as acusações, e afirmou que, "se mostraram um vídeo, é preciso lembra que os EUA foram ao Conselho de Segurança da ONU (em Fevereiro de 2003) e expuseram provas e imagens de armas de destruição em massa no Iraque", que com o decorrer dos anos se provaram infundadas e mentirosas
observação:israel não destrui nenhum reator nuclear da Síria,pois Caças israelitas foram postos em fuga pela anti-aérea da Síria.De súbito toda a atenção se concentrou em Damasco e Telavive, depois dos disparos da defesa anti-aérea síria contra aviões israelitas que violaram o espaço aéreo sírio, na madrugada de quinta-feira. A comunidade política internacional, nos últimos tempos, já temia um aumento das tensões entre a Síria e Israel, sobretudo depois da multiplicação de declarações israelitas que encaram a possibilidade de uma guerra contra o Líbano e a Síria.Estes cenários belicosos são confirmados por numerosas análises e estudos que consideram que a administração estadunidense quer tomar todas as medidas necessárias para proteger o Estado judaico das consequências nefastas dos azares estadunidenses no Iraque, onde não é de excluir uma retirada parcial nas próximas semanas.O desmentido israelita do incidente noticiado pela agência noticiosa oficial síria, Sana, não atenua a gravidade da escaramuça. Alguns especialistas pensam que o desmentido ilustra o falhanço da missão confiada aos caças israelitas que tinha o objectivo de localizar e testar as armas, equipamentos e sistemas de radar recentemente instalados pelo exército sírio. Entretanto, o facto de o incidente ter sido revelado pela Síria leva a pensar que Damasco está contente com o comportamento da sua defesa anti-aérea, que conseguiu detectar a presença dos aparelhos inimigos assim que entraram no espaço aéreo a poucos quilómetros apenas da fronteira turca. A eficácia da DCA síria obrigou os aviões israelitas a desfazerem-se dos reservatórios de querosene para aliviar a carga e aumentar a velocidade. Num segundo momento, os caças foram obrigados a largarem as munições, pelo mesmo motivo. Em Beirute, fontes bem informadas afirmam que os MIG 23 sírios descolaram para perseguir os aparelhos israelitas e os obrigaram a deixar o território.Esta prova de força militar vencida pela Síria aumenta os riscos de uma guerra israelo-árabe, focada principalmente nas frentes libanesa e síria. Porque o Estado judaico vê com apreensão o reforço da capacidade militar da Síria e do Hezbollah, que tem repercussões no moral e na eficácia dos movimentos da resistência palestiniana.
http://www.voltairenet.org/article151270.html
Mais informação factual (al-Jazira, em inglês), aqui.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home